Suposto surto de escarlatina- atenção mamães sinal de alerta!

Escarlatina

Nenhuma de nós gostamos de ver nossos filhotes dodói, nos esforçamos ao máximo para que eles fiquem 100% saudáveis, não é mesmo?

Mas quando o clima está seco, épocas de extremo frio ou calor, foge um pouquinho do nosso controle. E eles  estão sujeitos a contraírem algumas doenças virais, infelizmente, sendo a mais comum gripe.

E hoje vim alertá-las sobre a escarlatina, uma bactéria! A intenção deste post não é para gerar pavor ou alarme, mas para ascender um sinal de alerta aos sintomas.

O que é a Escarlatina?

escarlatina
Doença na pele afastou crianças de escola infantil (Foto: Paulo Chiari/EPTV)

É uma bactéria estreptococos do grupo A, comumente ela se aloja  na garganta e na pele. É de fácil contágio, e o período de incubação pode variar de um a dez dias.

O tratamento não é complicado, feito com antibióticos, porém é importante que seja detectado a tempo para que a criança possa ser medicada.

Até o século XX a escarlatina era considerada grave, com uma taxa de morte de até 20%, mais comum em crianças  de 2 a 10 anos ( período escolar), mas hoje como mencionei acima existe tratamento.

Veja os sintomas e formas de contágio

escarlatina

Nós como mamães temos que estar atentas a qualquer sinal de mudança dos nossos filhotes. Seja comportamental ou físico.

A rotina pode mudar, mas alterações extremas devem nos gerar um sinal de alerta.

Sintomas da escarlatina

Assemelha-se bastante com um resfriado normal,  febre, dorzinha de garganta, porém apresenta calafrios, vômitos acompanhando de dor abdominal (fonte).  Mas, alguns sintomas permite a diferenciação de uma simples gripe, que são eles:

  • Nos primeiros dias, febre alta;
  • Dor na garganta, com coloração avermelhada;
  • Pequenas manchas avermelhadas ásperas na pele, aparecem inicialmente no tronco, depois tomam a face, o pescoço, os membros, axilas e virilha, mas poupam as palmas das mãos, as plantas dos pés e ao redor da boca, e descamam com a evolução do quadro;
  • A Língua fica arroxeada, com um aspecto de framboesa, porque incham;
  • Dorzinha de cabeça, no corpo e na barriga;

Como pode ocorrer o contágio?

Através de uma pessoa que esteja contaminada, ela é facilmente transmissível, por saliva (espirrar ou tossir muito perto), mão na boca ou no nariz, beber água em um copo utilizado por alguém que esteja com a bactéria.

É importante orientar as crianças a realizarem os hábitos de higiene, como lavar as mãozinhas constantemente e usar gel antibacteriano.

Para as crianças que frequentam a escolinha é importante que as tias orientem sobre a higiene, e fiquem atentas também aos sintomas.

Importante

  • Ao perceber os sintomas, leve a criança ao pediatra, mesmo que tenham tratamentos naturais que colaboram com a melhora, a criança precisa ser acompanhada por um médico e o tratamento ocorre com antibióticos;
  • A criança que for diagnosticada com a escarlatina, precisará ficar de repouso, até o quadro desaparecer;
  • A alimentação precisa ser leve (saudável);
  • A criança precisa ser bem hidratada.

A escarlatina não está mais no quadro de doenças graves, porém como todas as doenças se não tratada da forma correta pode ser tornar gravíssima, gerando complicações, podendo levar a morte.

Em São Carlos-SP, teve algumas suspeitas e os casos estão em análise, confiram a notícia na íntegra aqui

Um beijo

Valéria Queiroz

Valéria Queiroz

Mamãe de um menino fofo (Biel), publicitária, diretora comercial da Nairuz, bem humorada, acredita que a família é a base de tudo.Foi fisgada por este universo de amor sem medidas, quando ficou gravidinha, desde então mergulhou na maternidade e ama estar conectada com todos que não conseguem manter os pensamentos longe deste assunto.
“O universo mamãe é algo incrível”.

Comentários no Facebook