Qual o melhor tecido para o bebê?

Todos os anos, nascem ao redor de 2,88 milhões de crianças no Brasil. É um número em queda, sim, mas que não deixa de trazer muita alegria. São quase 3 milhões de famílias que recebem a alegria que apenas um bebê pode trazer. No entanto, antes do nascimento e por um tempo depois, é importante entender qual o melhor tecido para o bebê, de modo a comprar ou fazer roupinhas infantis adequadas.

É importante ter em mente que a pele do bebê é muito sensível. O modelo ou tecido errado podem trazer alergias, arranhões e outros danos, por mais lindas que sejam as peças. Por isso, seja para comprar um pijaminha ou uma roupinha de time de futebol (como as peças lindas da loja Torcida Baby), é vital escolher aquelas feitas com o tecido certo. Isso vale também para quem for fazer a roupa por conta própria.

Quer saber qual o melhor tecido para o bebê? Então siga a leitura abaixo!

Qual o melhor tecido para o bebê?

Muitos tecidos não são recomendados para roupas infantis, pois causam alergias, arranhões e outros danos à pele sensível dos recém-nascidos. Mas quais são os bons tecidos? Aqueles que permitem que o bebê fique confortável, que não impeçam a absorção da transpiração e nem causem a sensação de “pinicar” a pele da criança? Veja a seguir algumas sugestões para você!

Tecido 100% algodão

O tecido feito 100% de algodão é aquele mais macio e mais confortável. De todas as opções, acaba sendo a preferência para pais e mães que querem o melhor para o bebê, pois é uma roupa mais macia ao toque, que não causa danos à pele do recém-nascido e que permite que ela respire normalmente. Além disso, é uma roupa que garante a mobilidade da criança, especialmente em um estágio em que ela ainda está desenvolvendo o controle dos músculos.

Uma vantagem para os papais e para as mamães é que esse é um tecido muito fácil de limpar. Quem tem bebê em casa sabe o quanto eles acabam sujando a roupa, então é importante ter um material que não prejudique a limpeza.

Portanto, se você não quer errar na escolha de tecido para a criança, opte por roupas 100% algodão. Elas gerarão um bom resultado para o bebê e para os pais, deixando a criança confortável e feliz.

Algodão + poliéster

A segunda opção mais comum e recomendada para a criança é uma combinação de algodão e poliéster. Muitas roupas de bebê que você encontra em lojas de departamento são feitas com esses materiais. Eles trabalham muito bem em conjunto , criando peças mais resistentes. Como a criança está sempre se mexendo, é importante ter um material um pouco mais duradouro.

Além disso, são roupas que não amassam tão facilmente e que secam muito rapidamente. Para os pais, isso é muito importante. Afinal de contas, é normal ficar trocando o bebê o tempo todo por causa de alguma sujeira na roupa. Nesse caso, um material que seca rápido permite que seja possível trocar o bebê mais vezes.

Lã antialérgica

Uma opção de tecido muito bom para bebês, mas pouco conhecido é a lã antialérgica. Trata-se de um tipo de lã feita justamente para os mais novinhos, não permitindo o mesmo cenário de alergias que a lã mais tradicional. Esse material é muito bom para momentos de frio, quando o bebê nasceu no inverno ou está chegando essa época. É claro que, em muitos locais do Brasil, o inverno é bem quente e não é necessário lã. Mas em outros pontos, é importante ter uma roupinha mais quente que não trará alergias.

Quais tecidos evitar?

Além dos tecidos importantes a usar, é essencial saber também quais tecidos evitar. Afinal de contas, muitas roupas de criança costumam ser feitas com tecidos ruins, o que é muito prejudicial.

Em primeiro lugar, evite comprar tecidos sintéticos, como o polipropileno ou o acetato. Roupas nesse tecido não absorvem a umidade do corpo e isso faz com que haja um acúmulo de resíduos na pele do bebê, o que é prejudicial.

O náilon e o cetim também são tecidos a evitar para recém-nascidos, pois são muito eficazes em despertar reações alérgicas na pele das crianças, especialmente nas de maior sensibilidade. A lã é outro exemplo, além do plush e do soft. Afinal, por serem peludinhos, eles soltam partículas que acarretam reações alérgicas nos bebês.

Agora que você já sabe qual o melhor tecido para o bebê, poderá investir na compra das roupas certas para o seu filho, neto, sobrinho ou qualquer outra criança que surja na sua vida. Além disso, poderá escolher também aquelas roupinhas que são lindas e também trazem benefícios para o bebê, sem prejudicar sua pele ou bem-estar. Afinal, é isso que mais importa, não é mesmo?

Gostou das dicas? Então compartilhe este conteúdo nas redes sociais e marque todos os seus familiares!

10 de março de 2021

Relacionado

Comentário (1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Valéria Queiroz

    Valéria Queiroz
  • Posts Populares

    • E aí, quer receber nossas novidades? ❤️

      Psiu! Receba dicas exclusivas no seu e-mail!

      Preencha abaixo seu e-mail e nós vamos enviar os melhores conteúdos e exclusividades para você!