Preço psicológico do empreendedorismo materno

Preço psicológico do empreendedorismo materno-A construção do próprio negócio não é uma tarefa fácil

Hoje pela manhã um amigo empreendedor, me marcou em um post sobre empreendedorismo. O artigo foi tão bom que não poderia deixar de compartilhar . Então leia com atenção, vamos tratar sobre o preço psicológico do empreendedorismo materno, tenho certeza que vai fazer você refletir também.

Empreender não é para qualquer um, tem que ter “peito”.

preço psicológico do empreendedorismo materno
preço psicológico do empreendedorismo materno

Eu como mãe e empreendedora, não poderia deixar de falar sobre este assunto aqui no blog. Assim como você eu também sou invadida com as imagens e os depoimentos da maternidade perfeitinha.

E com o empreendedorismo não é diferente, a maternidade empreendedora cor-de-rosa também está se espalhando como a salvadora da relação com nossos filhos, e as coisas não são assim tão fáceis.

Você enfrentará grandes desafios, o empreendedorismo materno lhe dará sim uma flexibilidade. Mas você terá que trabalhar muitooo, inclusive falei sobre isto neste artigo: Rotina de mãe empreendedora.

A pressão de alcançar o sucesso tanto no universo empreendedor como ser uma boa mãe:

preço psicológico do empreendedorismo materno
preço psicológico do empreendedorismo materno

Na maternidade empreendedora “cor de rosas”, poucos falam como essa rotina de longas horas de trabalho, seguidas de dificuldades emocionais e preocupações mentais, podem afetar a vida da mãe empreendedora.

É  verdade que empreender pode ser o caminho para transformar sonhos em realidade. E em todas palestras que presenciei, os empreendedores de verdade nunca disseram que a construção do próprio negócio seria uma tarefa fácil. E hoje sei bem sobre isso! Existe um preço psicológico que pagamos muito caro!

Chuva de realidade

preço psicológico do empreendedorismo materno
preço psicológico do empreendedorismo materno

O artigo que meu amigo compartilhou comigo, me mostrou alguns itens que de fato vivemos, e vou compartilhar aqui com vocês:

Solidão ao enfrentar dificuldades

Os problemas virão! E você vai tentar segurar essa barra por conta própria e terá dificuldade de afastar as preocupações dos dias que estão por vir.

Por mais que pareça, as empreendedoras maternas não devem enfrentar o estresse e a incerteza desamparadas, as coisas não são bem assim. É saudável  que você encontre alguém com quem você possa dividir suas aflições e supera-las.

Solução para os problemas

Muitas vezes por estar inserida nos problemas, você não conseguirá ter a visão para sair deles sozinha. As vezes a resposta estará bem na frente do seu “nariz”, mas você não conseguirá ver sozinha.

A melhor saída é você pedir ajuda! Tenha um mentor, um confidente ou até mesmo um coaching ou terapeuta. Você precisará de alguém, na qual poderá confiar e pedir um conselho imparcial.

Muito trabalho e pouco descanso

Nos primeiros anos de negócio, ele também será um filho! Você vai precisar se dedicar por longos períodos, de fato trabalhar dobrado. E seu corpo acabará sentindo, pois além de empreender você também é mãe, não pode faltar carinho e presença para o filhote.

Por conta de tudo isso, o seu sono pode não ser por um período reparador, a resposta além de física aparece também no âmbito emocional, mental e até financeiro. Se você de fato começou um negócio do zero, sem ajudas financeiras.

A verdade precisa ser dita

Quero ressaltar que não estou dizendo tudo isso de forma tão clara, porque estou querendo fazer com que você desista de abrir um negócio. Não! Eu estou fazendo isso, porque você precisa estar preparada! As pedrinhas no meio do caminho irão aparecer e você vai precisar superar, se escolheu empreender.

Para muitos, empreender é um ato heroico, por lutar todos os dias por algo que acredita. Entretanto, poucos enxergam os sentimentos reprimidos que antecedem o sucesso.

Existe um caminho

Com a intensão de que a pressão do negócio próprio não vire um pesadelo, é preciso que os empresários saibam falar abertamente sobre os momentos em que tudo parece desabarAdmitir que o caminho tem dificuldades é um sinal de força.

Também é fundamental saber encontrar períodos onde o cérebro não esteja pensando só no trabalho. Uma boa dica é aprender a focar no momento presente e perceber que a ansiedade nada mais é do que a preocupação com o futuro, com o que ainda nem aconteceu.

Se você estiver em uma reunião familiar, tente perceber as expressões nos rostos das pessoas que você ama. Se estiver em uma viagem, busque reparar em todos os ricos detalhes da natureza e das cidades.

Certamente essa técnica vai ajudar você a saber identificar seus momentos de lazer e deixará seu pensamento mais ativo para as horas de trabalho. (Blog Saia do lugar).

Passamos por muitas tensões

Tem a casa, tem o bebê, tem o esposo, tem o negócio para fazer dar certo. Tem vestígios de crescimento, você precisa investir em funcionário e precisa de recurso para isso, tem as pressões do mercado, viu só?Quantas coisas…

Não tenha dúvidas que isso vai lhe dar a sensação de estar sempre sobrecarregada! Muitas coisas para resolver e pouco tempo para fazer tudo que precisa. Sua autocobrança vai nas alturas.

A saída nesses casos é saber manter o foco  e as coisas em perspectiva. Quando parecer que está estagnada e progredir parece extremamente difícil, olhe para trás e veja toda a evolução até o momento atual.

Você vai precisar dividir suas tarefas em pequenos passos. E ter com meta estar sempre evoluindo, não vai ter tempo de “mimimi”, só tem uma opção ir para cima! Então esteja sempre progredindo, independentemente da velocidade.

Se por um lado, durante a jornada de construção de um negócio é praticamente impossível fugir dos momentos de dedicação extra, por outro também é muito importante manter intervalos de descanso e períodos de sanidade e diversão.

Para que não seja preciso pagar o preço psicológico do empreendedorismo, os novos empresários devem refletir sobre seus hábitos. Somente dessa forma é possível construir uma cultura de trabalho saudável para si e para os demais envolvidos no processo.

Acreditar na força do empreendedorismo é algo que pode beneficiar um país inteiro, mas para que isso se torne realidade, quem está por trás dos negócios deve saber também cuidar de si mesmo.(Blog Saia do lugar).

Vai que dá!

Tive a oportunidade de participar de um evento da Endeavor e aprendi que o lema vai que dá!Nunca se esgota. Ele se incorpora à cultura do nosso negócio, assim como no nosso estilo. É o valor que fará a diferença nas situações de crise que qualquer empreendedor enfrentará ao logo da sua trajetória. Pois nestes momentos, outra marca registrada do empreendedor se manifesta: A resiliência, ou seja, o talento de extrair da própria adversidade a energia necessária para se reerguer.

E aí aprendemos que empreender não é para qualquer um, tem que ter “peito”, para enfrentar o preço psicológico do empreendedorismo materno.

Encerro o post com este vídeo de uma mãe e empreendedora…“Os sonhos que eu tenho não têm limite”

Espero que tenha contribuido com você neste processo! E se quiser conversar sobre empreender, estou a disposição…

Um beijo

 

Valéria Queiroz

Valéria Queiroz

Mamãe de um menino fofo (Biel), publicitária, diretora comercial da Nairuz, bem humorada, acredita que a família é a base de tudo.Foi fisgada por este universo de amor sem medidas, quando ficou gravidinha, desde então mergulhou na maternidade e ama estar conectada com todos que não conseguem manter os pensamentos longe deste assunto. “O universo mamãe é algo incrível”.

Comentários no Facebook